domingo, 29 de agosto de 2010

A Missão do Povo Judeu na TERRA

Esta é uma questão que a muito vem sendo questionada por muitas humanos encarnados e estudiosos do esoterismo e também por historiadores, tratarei de responder objetivamente esse aspecto através da canalização com a entidade e Mestre Shtareer, o qual vem me ajudado nestes últimos 9 trabalhos a serem publicados, além de outros trabalhos ligados a grupos de estudo e iniciações multidimensionais. A entidade Shtareer, por ser uma consciência que se projeta em mais de 20 planos dimensionais diferentes em paralelo, esta capacitada a apresentar informações bem mais concisas e sem vínculos com nenhuma das partes, por não estar ligado carmicamente com tais fatos. Para que possamos entender do ponto de vista humano tridimensional, ou seja, do nosso ponto de vista de seres evolucionários, que ainda possuem a amnésia espiritual, teremos que estudar um pouco sobre a verdadeira origem desse povo.

Como já comentei, os Judeus foram trazidos ao nosso planeta em um tempo muito remoto, pelo Comandante Estelar Pleiâdiano JEOVÁ, o qual é o Comandante em Chefe da frota e da constelação Pleiâdiana. Ele é pertencente ao planeta Azanubio, que fica localizado no hemisfério sul dessa constelação com cerca de quase 400 estrelas e milhares de planetas, com vida no plano tridimensional, além das manifestações de vida nas outras dimensões superiores. Também se encontram dentro dessa constelação outras formas de vida, que não correspondem a raça Adâmica, ou seja, ao perfil humano ao qual nós terráqueos pertencemos, assim como muitos de nossos colegas do Comando Asthar Sheran e também das Fraternidades Branca da TERRA e Azul de Siriús. Trata-se de uma constelação onde existem milhares de emanações de vida em diversos planos evolutivos, que ultrapassam nosso conceito atual de evolução espiritual e tecnológico. Dentre esses sistemas planetários, muitos tem demonstrado um exemplar curriculum evolutivo dentro do programa estabelecido no seu plano dimensional. O povo Judeu originário de seu planeta no extremo Sul dessa constelação, pertence ao circulo embrionário de desenvolvimento setorial ao qual o Comandante Jeová se originou. Assim podemos dizer que a raiz Judia provem do mesmo quadrante que Jeová, sem que com isso Jeová seja um judeu. No que se difere essa raça de tantas outras ? Para responder essa questão foi necessário efetuar um paralelo no registro akashico em relação aos planetas evolucionários decimais como o nosso. Em nosso Universo Local de Nebadon a cada 10 planetas gerados 1 é decimal, ou seja, um planeta de experiências evolutivas, com classificação genética bem abrangente e variada. As condições desses planetas são diferentes da dos demais, que devem compor um pequeno Sistema Solar. Esse planeta Decimal a exemplo do nosso, é preparado de forma diferente, a fim de receber uma raça Adâmica, Draconiana, Cetácea, Felina, Vegetal etc.., que deverá receber uma taxa de polarização maior em seu código genético. Esses aspectos debatidos no livro Confederação Intergaláctica de minha autoria editado pela Ed. Madras 1997 explicam detalhadamente essa questão, porém o que pode ser complementado neste trabalho, sem que fujamos por demais do assunto original, é que o povo Judeu também foi uma raça escolhida a expressar sua evolução em um mundo com alta polarização, no entanto o mundo e as condições planetárias , genéticas e raciais foram bem mais amenas que em nosso planeta, a própria negatividade genética instaurada no código astral e telúrico desses serem em seu planeta, não ultrapassou a taxa de 35%, enquanto que em nosso caso, tivemos uma taxa original eu chegou a quase 70%, o que proporciona o dobro de dificuldades a serem superadas, em primeira analise é claro. Digo isso por que não estou aplicando o percentual decorrente dos efeitos cármicos provenientes do processo evolutivo. Como sabemos a cada processo evolutivo no corpo físico, denominado encarnação, somos submetidos a testes e a diversos processos de causa e efeito, que por sua vez geram uma infinidade de redes energéticas, que vão definir o grau evolutivo desse ser.

No quadrante Pleiâdiano no qual tinham sido implantados, as almas que originaram o povo Judeu, deram provas de grande valor e capacitação evolutiva, superando gradualmente todas as etapas e requisitos no plano tridimensional, requeridos pelas suas Presenças EU SOU. Eles já estavam em parte manifestando uma consciência plena nos domínios da 4ª dimensão e passando ao plano da 5ª dimensão. O povo Judeu chegou a ter um desenvolvimento tecnológico muito avançado dentro desse processo evolutivo, colonizando alguns planetas próximos ao seus Sistema natal. Tinham conseguido o respeito de seus vizinhos e Mestres orientadores. Evidentemente que nem todos os seres desse povo estavam no mesmo plano evolutivo ou de consciência, mas cerca de 78% da população dessa raça já tinha alcançado pelo menos o plano da 4ª dimensão a nível de consciência, expandida além do corpo físico, que assim como o nosso ocupava a 3ª dimensão. Existe uma relação direta entre os seres que habitaram o planeta orbital da estrela de Capela, o qual deu origem a um livro do grande Mestre Chico Xavier. Parte da matriz genética do povo Judeu é a mesma da utilizada pelo povo de Capela, isso fez com que muitos afirmassem que os Judeus eram os exilados de Capela, o que não é totalmente verídico. Existiam grandes diferenças no aspecto evolutivo e tecnológico entre essas culturas, além da cronologia temporal ser bem diferente. Os fatos relatados em Capela são bem anteriores aos que culminaram na vinda do povo Judeu para nosso planeta. Isso explica por que muitos Capelinos foram levados ao planeta Judeu para darem continuidade ao seus processo evolutivo, devido a possuírem semelhança genética a partir do povo ou raça Liriana com alguns representantes de Canopus.

Mesmo com a chegada dos representantes Capelinos dentro da nação Judia, os mesmos conseguiram em algumas dezenas de anos deles, equilibrar e transmutar a carga energética mais densa que se juntou a sua original. Isso foi reconhecido e admirado por muitos seres extradimensionais, o que fez com que o povo judeu fosse associado a Federação Intergaláctica. As relações com outros povos regionais eram comuns e não atrapalhavam as diretrizes desse povo. Seu sistema evolutivo seguia a linha Luciferiana embasada no desenvolvimento Tecnológico, porém tinham também um alto desenvolvimento espiritual, seguindo a linha Miqueliana, assim eles se equilibravam entre as duas principais vertentes evolutivas. Estou me referindo ao passado, pois temos que resgatar essas informações nesse contexto, para poder entender o por que deles terem vindo para cá. Atualmente os representantes desse povo ocupam em parte a 6ª e 7ª dimensão de consciência e matéria, existindo ainda alguns poucos descendentes no plano tridimensional como os do nosso planeta e também de outros planetas na constelação das Plêiades. Também existem membros que habitam as paragens da 4ª e 5ª dimensão, esses encontram-se ainda em seus mundos originários.

No decorrer dos acontecimentos no quadrante no qual o povo Judeu se desenvolvia, o conselho Cármico verificou que eram seres capacitados a ajudar no processo evolutivo de outros mundos também decimais. Como o nosso mundo encontrava-se em um processo semelhante, porém bem mais denso, eles convocaram um conselho de analise, no qual o Senhor Jeová estava presente como Deus Local desse quadrante. Jeová por ser o representante mais evoluído desse setor, pode ser considerado um dos Deuses criadores e regentes, no entanto ele responde ao conselho Cármico, que por sua vez está ligado ao Conselho dos 12, que trabalha diretamente com o grupo do Anjo Micah, o nosso Deus Criador de Nebadon.

Quando foi efetuada a reunião sobre o desenvolvimento evolutivo do povo Judeu, esperava-se determinar novas metas evolutivas para esses seres, que até o presente momento tinham se desenvolvido satisfatoriamente em diversos aspectos.

No aspecto de amadurecimento moral e espiritual equilibrando a energia Luciferiana, eles estavam conseguindo a Mestria em relação ao seu percentual de polaridade, o que não tinha sido tão bem alcançado por outras raças nesse quadrante. Jeová era para esse povo um grande aliado e consultor, pois em diversas oportunidades tinham recorrido a ele para resolver dilemas sociais, entre eles a problemática comum da tecnologia nuclear frente aos conflitos sociais no processo de socialização da comunidade. Assim eles procuravam sempre a ajuda espiritual e também de seus Mestres extraplanetario, sendo Jeová um dos mais influentes. A sociedade Judia nessa altura de sua história encontrava-se cerca de 120 anos a frente da nossa atual tecnologia cientifica, incluindo nisso muitas das pesquisas da Nasa com seus melhores pesquisadores. Já a tecnologia empregada pelo Sinistro Governo Secreto encontra-se em equilíbrio ou até superior em alguns aspectos do que o povo judeu possuía nesse período de sua história, porém apresentavam um senso de justiça e amadurecimento social muito acima da que nossa sociedade apresenta em nossa atual conjectura. O senso de responsabilidade com o processo evolutivo perante o Grande Criador era bem desenvolvido, assim como a pratica de medicina telúrica mantendo um contato continuo com seus planos mais sutis. A existência de planos paralelos, de outros corpos em diversas dimensões, eram de conhecimento publico, as pesquisas e reuniões de grupos para fins de estudos e aprimoramento dessas energias também eram muito comuns, sendo patrocinadas pelo governo. Eles procuravam empregar esses conhecimentos aliados as pesquisas tecnológicas, com isso é que mantinham o equilíbrio entre ambas as energias. Não eram um povo guerreiro, em sua história foram poucas as guerras, mesmo em se tratando de seres que possuem descendência Liriana, eles não possuíam propensão para atos pesados como genocídios ou mesmo guerras em grande escala. Existiam sistemas legais de punição, baseados em leis sociais, com as quais mantinham a sociedade moldada em determinadas diretrizes. Os conflitos que esse povo sofreu em sua história planetária não foram grandes ao ponto de compara-los a nossa 2ª guerra mundial, ou mesmo a nossa história cheia de sangue. Não que com isso eu esteja dizendo que nunca tiveram conflitos ou mesmo guerras, mas que o nível ou padrão energético de seus conflitos eram bem menores e tênues que os de nossa sociedade, isso devido ao nosso maior grau de polarização e de raças presentes. Nos planetas Judeus somente se manifestaram duas raças plenamente próximas, divididas entre loiros e morenos claros do tipo caucasiano. As diferenças inicialmente tinham base nos limites territoriais e posteriormente nas concorrências políticas e financeiras, isso bem no inicio do processo de industrialização, posteriormente com o contato aberto com outras civilizações, e com a instituição do espiritualismo como única religião, foi possível superar todos esses pequenos confrontos, manifestando assim um sistema socialista equilibrado para ambas as parcelas de judeus. A história desse povo dentro desse contexto possui cerca de 12.000 anos de sua cronologia, que difere da nossa, poderíamos enquadra-la em cerca de 7.550 anos de nosso sistema temporal, até o ponto no qual foram convidados a virem ao nosso planeta.

Foram um povo que em pouco tempo conseguiram superar suas dificuldades anteriores, baseadas também nas questões geológicas de seu mundo novo, o mundo deles original era semelhante ao nosso, um pouco menor, com um clima ameno, selvas tropicais, montanhas e grandes oceanos, um sistema duplo, ou seja, com duas estrelas verdes como portadoras da vida, simbolizando a dualidade. A estrutura geológica de seus mundo natal apresentava algumas diferenças com a da Terra, possuíam o metal ouro em maior proporção, assim como muitos outros metais que consideramos nobres, também a proporção de cristais de quartzo também era maior. Seu mundo natal e novo, mais novo que o nosso planeta, por isso podemos dizer que sejam uma raça nova tanto quanto a nossa. O processo de origem da vida no plano tridimensional também gira em torno de 1 bilhão de anos, assim como em nosso planeta, igualmente os planos sutis se desenvolveram antes como em nosso caso. No entanto nesse planeta as raças escolhidas a povoarem o planeta até existir a viabilidade de uma raça humana foram diversas formas entre elas os Draconianos, Cetáceos, e também uma raça andrógena que ascensionou rapidamente em poucos ciclos de vida. A manifestação humana dos judeus foi semelhante a nossa inicialmente, com todas as intervenções que um planeta decimal pode esperar, no entanto foi amena se comparada a nossa, houveram menos raças interessadas em efetuar experiências genéticas. Poucas foram as manipulações genéticas empregadas por outras raças, isso facilitou o processo evolutivo e liberou o povo da Barreira de Freqüência gerada pelas egregoras densas dos pensamentos forma dos judeus durante sua evolução. Isso foi decisivo para viabilizar uma rápida evolução, que gerou 3 civilizações distintas de alto padrão moral e espiritual, sendo que a 4ª e ultima foi a manifestação Judia, que também pode ser considerada bem sucedida no que se refere aos membros que se mantiveram em seus mundos e puderam transcender para outros planos de consciência. Isso no entanto não ocorreu com os judeus que vieram para nosso planeta.

A explicação disso encontra-se no fato de que o nosso planeta possuía maior grau de polarização, além de uma outra posição galáctica, o que devido a ação do aspecto gravitacional dos corpos celestes, provocou uma influência nefasta nos judeus. Essa ação gravitacional vem a ser o que os nossos astrólogos identificam como ascendente planetário e estelar das constelações, o que possui base cientifica e portanto lógica, só que muito mais profunda do que a atualmente mensurada. O Sistema planetário dos Judeus fica a cerca de 56 anos luz do nosso planeta, assim sendo esta sujeito a ação gravitacional ou astrológica de outros Logos Estelares e astros, isso possui relação direta com os desafios evolutivos de uma raça exploradora como é o caso de todas as raças que se manifestam nos planetas decimais.

Quando o conselho resolveu enviar um grupo de quase 3 mil almas judiais para nosso planeta, a fim de ajudar no aprimoramento e evolução das raças aqui presentes, não foram contabilizados diversos aspectos, entre eles a ação gravitacional dos corpos estelares, que acabariam por alterar os padrões genéticos ainda nos campos etéricos, assim como a grande diferença de polarização. Jeová acreditou assim como seus colegas, de que devido ao sucesso e principalmente a integridade moral apresentada por esse povo até o momento, estariam capacitados a superar as dificuldades e ainda assim ajudar no desenvolvimento das raças aqui presentes. Isso explica o fato de que historicamente se afirma que o p0vo judeu é o escolhido por Deus, no entanto que fique claro que esse Deus é o Senhor Jeová, o Deus particular de um grupo e sistema estelar, não a FONTE QUE TUDO É, como muitos tem querido afirmar. Jeová apresentou a oferta e também desafio aos sacerdotes conselheiros do então povo judeu em seus 7 planetas habitados a partir de seus planeta natal. Esses sacerdotes receberam a proposta de escolher um grupo de almas, que deveriam viajar para um planeta distante, a fim de ajudar os Deuses criadores a acelerar o processo evolutivo desse planeta, que devido a polarização e interferência de muitas raças externas, não conseguia evoluir e tinha fracassado no processo evolutivo em diversos ciclos estelares. Os sacerdotes aceitaram o encargo e se prestaram a escolher os voluntários para essa tarefa. Os mesmos de veriam ser casais com um bom desenvolvimento cientifico e espiritual, que pudessem manifestar o equilíbrio das energias luciferianas e miquelianas como o tinham até então manifestado em seus planetas. Aliado a isso esses seres deveriam trabalhar diretamente com Jeová e evitar o envolvimento com os outros deuses ou raças extraplanetárias, que se encontravam em grande quantidade no novo planeta.

Essas pessoas foram transportadas diretamente em uma grande nave da frota imperial de Jeová, seus corpos foram acondicionados as novas condições climáticas, gravitacionais e atmosféricas, isso por que eles respiravam um ar mais rico em oxigênio que o nosso, além de serem capazes de metabolizar o Nitrogênio em suas funções vitais. A viagem durou muito pouco, mas foi o suficiente para preparar 3 mil membros a colonizarem um novo mundo, estes por sua vez teriam que procriar e gerar novos descendentes, que viriam diretamente de seus mundos natais conforme as condições cármicas ou evolutivas se prestassem.

Esses aventureiros de bom coração ao chegarem na Terra notaram no decorrer do primeiro anos, que a energia do planeta não se sintonizava com a deles, mas não conseguiram identificar a razão disso. Seu trabalho inicial era construir uma cidade de onde partiriam os ensinamentos para as outras culturas. O contato com as outras raças humanas presentes no planeta demoraram um pouco até que os judeus pudessem se adaptar melhor as novas condições, empregando sua maior tecnologia.

Após 3 anos e meio foram feitos os preparativos de contatar outras raças de forma efetiva, antes disso eram contatos irregulares de viajantes que passavam pelo lugar onde os judeus estavam se estabelecendo. Os visitantes por assim dizer não se envolviam em problemas, isso por que em grande parte eram fugitivos de guerras ou de tribos conquistadoras. Quando o povo judeu se considerou em condições de procurar expandir seus conhecimentos aos humanos da Terra, tiveram seus primeiros desapontamentos, pois os humanos terrenos eram violentos e muito inferiores em inteligência, estavam muito atrás da capacidade judia intelectual, por isso verificaram que o método de catequização seria o mais efetivo, no entanto tinham que contar com os problemas de guerras regionais, nas quais acabavam por ser envolvidos, eles não estavam preparados para esse conflitos, assim tiveram que modificar sua estratégia e também seus costumes. Em paralelo com isso com o passar dos anos, verificaram cada vez mais o peso da ascendência astrológica sobre seus corpos, assim como da egregore astral do globo terreno. Por serem mais sensitivos, estavam sendo bombardeados por radiações telepáticas de energias nefastas, deixadas pelos diversos extraterrestres rebeldes, que aqui tinham se manifestado anteriormente no processo de Rebelião de Lúcifer na qual o antigo príncipe planetário Caligasto tinha envolvido o planeta, deixando um poderoso grupo de medianos presos aos planos astrais densos e nefastos para o planeta, juntando-se a isso existiam os extraterrestres mortos que também atuavam como obsessores no campo astral junto aos judeus mais sensíveis. Isso começou a minar as qualidades anteriormente adquiridas pelo povo Judeus, levou diversos anos, porém na medida em que eles iam se reproduzindo, suas qualidades foram sendo perdidas e também acabariam por penetrar na ignorância como descrito nos registros bíblicos. Esse processo não foi imediato, mas no decorrer de 6 gerações tinha minado por completo o verdadeiro potencial desse povo, inutilizando sua verdadeira missão, passando a marionetes e objeto de ajuda por parte de seu guardião Jeová, que tinha se ausentado poucos anos devido a outras questões urgentes nas Plêiades, com isso ele verificou para seu espanto o quanto tinha sido desatento e pouco provisor, pois tinha condições de ter previsto tais acontecimentos, ele deixou-se levar pelo entusiasmo e não cálculos todas as probabilidades, assim como seus colegas do conselho. Nesse contexto Jeová aparece como um Deus irado, pois os seus seguidores ou melhor emissários tinham se deixado corromper pelas forças negativas e tinham comprometido todo um trabalho de resgate planetário. Com isso Jeová ficou em uma posição delicada e também em pé de guerra com outros comandantes rebeldes de outras galáxias, que vinham aqui somente a executar experiências mesquinhas ou saquear o planeta.

Mas uma das características fundamentais que permaneceram no código genético desses seres, foi o seu coeficiente intelectual, bem maior que os outros humanos nativos deste planeta, isso fez a grande diferença entre os povos, o que destacou o povo judeu historicamente. Eles com o decorrer do tempo, perderam a memória de sua fonte extraplanetaria, sabiam que seu Deus era Jeová, mas não mais mantinham contato com seus planos mais sutis, acabaram por se envolver no padrão vibracional da Barreira de Freqüência. O povo Judeu foi vitima de uma situação penosa, a exemplo de diversas outras raças como alguns grupos de caucasianos descendentes de Siriús e também dos nossos planetas vizinhos, entre eles os Sumerianos (Saturno), que devido a sua sensibilidade mental, sofreram serias limitações em nosso planeta. A perseguição contra a raça judia, deve-se ao fato que inicialmente eram missionários, que procuraram transmitir ensinamentos e a colocar ordem nos povoados que encontravam, indispondo-se contra os interesses políticos de muitos soberanos locais, que por sua vez através da magia mantinham contato com grupos isolados de extraterrestres, que também possuíam interesses mesquinhos. As nossas lendas sobre a era das fabulas possui fundamentos bem concretos, foi nesse contexto que o povo judeu procurou intervir e ajudar a nossa humanidade, mas não teve força suficiente e nem apoio suficiente para superar as dificuldades, e acabou por se perder. Nesse período a maior parte dos extraterrestres que aqui existiam tinham acesso livre ao planeta. Foi somente a partir de uma ordem direta do Conselho de Micah, que a Terra foi bloqueada, permanecendo até os dias de hoje sobre quarentena, mas o numero de rebeldes extraterrestres era elevado, e tinham que ser removidos, o que não era fácil, pois muitos compactuavam com os humanos, passando a fazer parte do ciclo Cármico e evolutivo do nosso planeta, mesmo sem terem corpos humanos legítimos da Terra. Esses seres que ficaram presos ao campo gravitacional da Terra, tomaram o povo Judeu como símbolo de sua prisão, pois devido ao desenvolvimento de diversos fatos, a sua vinda e o seu fracasso missionário, levou aos conselheiros a determinar o isolamento e extermínio de muitos rebeldes. Não apenas os judeus vieram como missionários, mas trouxeram com eles um ser poderoso, que não era flexível, não fazia política com seus comandantes, esse ser era Jeová, que mantinha relações bélicas de agressão contra MOLOCH, um outro comandante rebelde, que tinha como meta inicial a mineração de matéria prima para seu povo e negócios escusos, como também financiava diversas experiências genéticas com os humanos, animais e vegetais, a fim de vender tecnologia para outros grupos de interesse no quadrante de Orion, Cruzeiro do Sul e em Antares. Estamos falando de seres com alto poder tecnológico, porém com baixo desenvolvimento espiritual, eram imaturos, seres que tinham desvirtuado por completo a energia Luciferiana, esquecendo ou mesmo negando a energia Miqueliana, com isso a sua polarização estava cada vez mais marcada, e quando se mantinham muito tempo ligados ao nosso planeta, sua polaridade se firmava cada vez mais, com isso cometiam atos, que normalmente não teriam feito em seus mundos natais. Muitos seres se desvirtuaram nesse contexto de exploração planetária.

O grupo de Moloch buscava diversos interesses neste planeta, além do poder e da possível apropriação do mesmo, eles esperavam poder requerer o direito a colonização da Terra, se o povoassem com seus descendentes, e instaurassem diversos grupos de pesquisa e colônias ou bases avançadas, como tinham feito na Lua. No entanto existiam outros comandantes e também a ação da Fraternidade Branca da Terra, que polarizava inversamente as energias, diminuindo a ação desastrosa desses grupos, com a chegada de Jeová com seu povo Judeu, as coisas ficaram mais equilibradas e também serias, pois Jeová imediatamente procurou expulsar todos os grupos de Moloch, promovendo um conflito armado pesado sobre os céus do planeta. Nesse conflito milhares de vidas foram ceifadas, sendo que Moloch se viu obrigado a recuar com seus grupos, no entanto os humanos que já tinham se envolvido com essa energia tinham sido deixados livres e em muitos casos passaram desapercebidos, esses humanos foram os que envolveram os grupos judeus e ajudaram na sua aniquilação e perseguição. Além disso somamos as influências negativas da polarização do planeta, como também da ação astrologica, isso minou as capacidades do povo judeu, ao ponto de perderem seu verdadeiro referencial em muitos grupos isolados, que acabaram por se misturar com outras raças. Os descendentes judeus legítimos tinham que resgatar seus pais, o que não ocorreu devido as interferências e ao grande avanço da degradação intelectual e cultural de seu povo. Isso deixou o povo judeu a mercê das influencias e ação de grupos , que estrategicamente utilizaram o que conhecemos de guerra fria contra o povo judeu.

Vejamos como o povo judeu teve que se defender da situação incomum, a qual nunca tinham sido preparados a enfrentar, nunca tinham sido guerreiros natos, a sobrevivência no novo planeta era cada vez mais difícil, os saques e as pestes eram comuns, isso devido em muitos casos as radiações residuais deixadas pelas naves destruídas ou mesmo pelas bombas nucleares detonadas em diversos lugares do globo. Isso fez com que o povo judeu se torna-se nômade, em busca de sua terra santa, pois acreditavam que em algum lugar do globo existia um ponto focal, onde sua energia original estava aguardando, esse ponto tinha relação com seu grupo original que tinha descido na grande nave de Jeová. Tratava-se de mais uma metáfora, na verdade dentro do inconsciente, os judeus tinham que penetrar no campo de ação da egregore original, proveniente de seu povo nas Plêiades, para isso eles tinham que atingir um ponto geográfico na Terra, que proporcionaria um ângulo adequado para que pudessem contatar sua matriz através de uma brecha na barreira de freqüência. O contato irregular com Jeová estava cada vez mais difícil, isso devido a grande degradação intelectual do povo, Jeová mantinha seu consciente, enquanto que seus discípulos estavam cada vez mais tapados, para que se tenha uma idéia clara da situação, o povo original dos Judeus possuíam um QI em média de 235 pontos em nossa escala, no decorrer destes acontecimentos, após 7 gerações eles mantinham um a faixa de pouco mais de 47, superior ainda dos outros humanos, que geralmente não superavam a taxa dos 35. Em contrapartida Jeová possuía algo em torno de 460 em nossa escala, isso fez com que o dialogo entre ambas as partes sofresse um alto gradiente, que infelizmente foi nefasto para os judeus, que perderam o rumo e se envolveram com o politeísmo.

Analisando profundamente estes fatos, verificamos que o povo judeu não teve culpa, foi mais uma vitima do que outra coisa, fato que tem se repetido historicamente em nossa civilização, a exemplo da perseguição durante a 2ª guerra Mundial, através dos nazistas, mas isso tem relação devido a ação astuta com a qual o povo judeu aprendeu a sobreviver. Quando perceberam que não podiam combater seus inimigos, uniram-se a eles e iniciara um processo de minar internamente seus inimigos, isso foi efetuado através do poder econômico, eles polarizaram aqui na Terra com maior intensidade a energia Luciferiana do materialismo e em pouco tempo elevaram seu padrão vibracional nesse aspecto. Assim em poucos milhares de anos, o povo judeu sempre teve representantes nos pontos de poder político e financeiro, o que tem garantido a sua hegemonia em nosso planeta, contudo sempre mantiveram seus inimigos declarados dentro de uma rede de interesses políticos, na qual a vida de muitos seres humanos faziam parte do jogo de sobrevivência para grupos maiores.

O povo judeu teve que aprender a sobreviver, criaram seus grupos secretos e círculos de estudos esotéricos, como também uniram forças com seus inimigos em trabalhos comuns, isso principalmente no que veremos no decorrer deste livro, sobre o Sinistro Governo Secreto. No período em que muitos dos acontecimentos se sucederam, houve o perigo de uma grande guerra sideral, entre Jeová de outros comandantes, que apesar de não terem a mesma evolução de Jeová, possuíam uma grande armada espacial, nesse contexto o Grande Arcanjo Miguel interveio e expulsou ambas as partes, deixando claro que tanto Moloch e seus partidários como Jeová, não mais poderiam resolver seus assuntos neste planeta, pois a alma planetária não compartilhava essas energias, que acabariam por dizimar todas as formas de vida do planeta. Com isso ambas as partes tiveram que acatar a determinação do Poderoso e amado Arcanjo, que na verdade é um dos mais poderosos representantes da Ordem de Micah. Aliado a eles estava o Amado Senhor Sanat Kumara, que também colocou seus anjos e guardiões em prontidão para deter os conflitos dentro do planeta. Esta intervenção provocou a manifestação de seres extradimensionais que nunca tinham sido vistos pelas hierarquias inferiores da 3ª, 4ª e 5ª dimensão, tratava-se de seres como o Grande Maitreya, Harmonia além de alguns representantes dos Senhores do Cárma ou Anciões dos Dias. Jeová por já conhece-los reconheceu que se excederá e aceitou o seu exílio, promulgando no entanto, que a responsabilidade pelo povo Judeu deixado no planeta Terra cabia somente a ele, e que teria que resgatar essa raça devolvendo-a ao seu mundo verdadeiro. Já a outra parte dos rebeldes, se defrontaram com uma nova realidade, que tinham negado, a existência real de seres superiores, Mestres e Deuses, que tinham negado por milhares de anos, esse novo episódio fez com que modificassem suas diretrizes, muitos deles evoluíram para uma nova etapa mais positiva, outros continuaram em sua mesquinharia, porém todos deixaram o quadrante estelar no qual nossa estrela orbita. No entanto os grupos que ficaram presos ao campo gravitacional e Cármico do planeta, foram obrigados a efetuar o processo de encarnação, até se libertarem, nesse contexto, tanto os rebeldes como os judeus tem estado a milhares de anos lutando para despertar, promovendo a guerra, morte, amor, felicidades e tantas outras manifestações de nossa realidade tridimensional.

A lição Cármica do povo Judeu existente na atualidade é decorrente dos erros e equívocos de sua evolução neste planeta, por outro lado eles possuem grandes fluxos de energia positiva acumulados em suas outras vivências em seus planetas natais, assim existe um contra peso, entre ambas as realidades nas quais eles viveram. O povo judeu se envolveu com as cargas negativas no decorrer de sua estada na Terra, de seus vizinhos, amigos e outras manifestações a cada vida encarnada, além das formas pensamentos geradas nesse processo, assim como tantas outras formas de vida, isso acarretou em pesados ciclos cármicos, que tem que ser transmutados e purificados. A vinda do Grande Mestre Jesus como Judeu, foi uma forma de aliviar essa carga negativa, que eles vinham alimentando a milhares de anos. O senhor e Mestre Cósmico Jesus (SANANDA) não era de origem judia, eles veio em primeira instancia diretamente de Siriús, o nosso Grande Sol Central galáctico, este por sua vez é a manifestação física e multidimensional do grande Anjo Micah, o Deus Criador de Nebadon. Assim a efusão de Jesus teve entre outras, a função de elevar a estigma e a vibração grupal dessa raça, que veio com amor a salvar nosso planeta e acabou por se afundar no ciclo nefasto da polaridade. Dentro desse contexto existem muitos judeus que ascensionaram e trabalham arduamente dentro das fileiras da Fraternidade Branca da Terra, para resgatar o planeta e seu povo, pois eles devem logo regressar para seus planetas dentro das Plêiades, e assim dar continuidade a sua evolução, carregando desta vez mais experiência de um mundo mais denso que os seus originais, com essa nova bagagem eles poderão desenvolver grandes trabalhos para seu povo que os espera em uma escala evolutiva de transição da 3ª para a 4ª dimensão.

Todo este contexto vivido pelo povo judeu, serviu como uma grande escola, que proporcionará grandes frutos ao regressarem a suas terras natais, isso também com relação as outras raças e indivíduos perdidos no processo evolutivo do nosso planeta, ele possui a maior carga de polarização deste quadrante, e tem sido chamado de a grande escola de Mestres, por muitas entidades extradimensionais. Todas as armadilhas políticas criadas pelo povo judeu em nossos dias atuais, fazem parte de um jogo maior ainda, gerado em parte pelos Sinistros membros do Governo Secreto, lembremos que em cada pais, raça, credo, existem as lamas boas e mas, assim não critiquemos, e sim procuremos entender e orientar aqueles que possamos no decorrer de nossas humildes vidas.

Este trabalho tem por objetivo demonstrar uma realidade, não favorecer ou criticar, mas apenas expor informações que tem sido mantidas escondidas do conhecimento populacional. Não podemos simplesmente criticar e nem sentir pena do povo judeu, no que se refere aos acontecimentos desastrosos da Grande 2ª Guerra, pois não foram apenas os judeus que sofreram, a guerra não se destinava somente contra eles, foram cerca de 52 milhões de vidas perdidas, varias raças, animais, crianças, velhos, mulheres sofreram as graves conseqüências desses atos insanos. Assim devemos verificar que o sofrimento do povo judeu ocorreu devido as condições políticas nas quais eles estavam envolvidos na ocasião, além de existirem diversos outros interesses em jogo, mas isso ocorreu a muitas outras pessoas que não pertenciam a raça judia, os chineses também foram dizimados pelos japoneses, seguindo os padrões nazistas, polacos etc.., devemos por uma pedra sobre esse aspecto, e buscar uma forma de reverter esse quadro dentro de nossas consciências, buscando uma forma positiva e construtiva de que isso nunca mais suceda em nossa sociedade, que a vida seja respeitada sobre todos os aspectos, sejam animais, vegetais e seres humanos. Quando buscamos o caminho da espiritualidade, temos que rever nossos parâmetros e paradigmas, verificando que nossa consciência se expande e amadurece com a assimilação de novos conhecimentos e conceitos mais modernos e claros. Não esqueçamos que a maior parte dos seres que morreram e se envolveram nesses conflitos mais pesados, tinham uma divida cármica, ou então tinham um pacto a nível de EU SOU para experiênciar tais atos, e assim poder transmutar outros aspectos de sua evolução, que não conhecemos. Como disse o Mestre Jesus, quem estiver livre de culpa, que atire a primeira pedra. Em nossa sociedade ninguém está livre de uma parcela da culpa ou processo Cármico, pois caso contrario não mais estaríamos aqui vivendo no planeta. Por mais puros que procuremos ser, ainda temos alguma coisa a transmutar, assim sendo busquemos a transmutação através dos 22 Raios cósmicos direcionados para nosso planeta Terra. Em 17 de Janeiro de 1998, foi aberto pelo conselho Cármico através de diversos discípulos um grande portal, que reuniu aos 12 raios já existentes mais 9 poderosos raios, que vem a complementar a sinastria evolutiva para transmutação planetária. Devemos aproveitar esses novos fluxos de energia e trabalhar nossos corpos interiores, para superar nossas limitações e transcender as nossas atuais limitações, principalmente as causadas pela culpa.

O povo Judeu possui um grande momentum acumulado positivo a seu favor, deve resgatar tal energia e buscar sua conexão com seus Deus local, Jeová, que esta aguardando o momento certo para resgatar seus discípulos, mas para isso cabe a cada membro da raça judia, elevar-se vibracionalmente para poder contatar telepaticamente seus mestre maior, assim podendo elevar-se dentro do plano espiritual e intelectual. Caberá aos mais esclarecidos escolher que rumo tomar, se será o do Senhor Jeová ou do Mestre Sananda, ambos representam dois aspectos diferentes da evolução, como já mencionei Jeová representa a evolução equilibrada da energia Luciferiana, e Sananda a energia espiritual Ascensionada.

A energia Luciferiana vem a ser um aspecto da polarização em nosso Universo Local de Nebadon, esta energia é dividida entre Miguel e Lucífer, mas não de forma nefasta, e sim de forma passiva, na qual Lucífer representa a tendência evolutiva baseada na alta tecnologia, enquanto que a energia de Miguel, representa o poder do Espirito, que pode através da ascensão evoluir um ser para outros planos, ambas são formas de evoluir, porém o desequilíbrio entre ambas cabe apenas as consciências evolucionarias, que não conseguem distinguir entre ambas o verdadeiro ensinamento que devem resgatar de cada aspecto. Ambos são seres de luz, incapazes de exercer atos nefastos, mas sua energia encontra-se disponível para todos aqueles que a queiram empregar a conhecer, a exemplo disso, podemos dizer que em nossa história o povo Espanhol em nome de Jesus matou e saqueou os povo Americanos, empregaram o Nome de um Mestre de Amor e Luz para angarias fundos e bens pessoais, já por outro lado as pessoas que abertamente trabalharam com as energias Luciferianas, também buscaram o poder, ambos empregaram aparentemente energias diferentes, porem tinham como objetivo o mesmo, o poder. Como podem ver trata-se apenas de pontos de vista, assim não, podemos atacar um lado sem que o outro possa também apontar falhas. Todos estamos aqui para aprender, devemos seguir a nossa consciência e procurar não ferir os outros, esse é o maior segredo para encontrar o equilíbrio entre ambas as energias, que devido a nossa natureza polarizada, desvirtuamos com muita facilidade.

Bom este capitulo sobre o povo judeu, destina-se a saciar a sede de conhecimento dos representantes de sua raça e também dos pesquisadores da verdade, como dizia meu irmão Dascalos. Espero ter esclarecido alguns aspectos obscuros desse povo, que sempre se encontra entre a injustiça ou as acusações, devido ao grande poder econômico que impõe a humanidade, assim pensem e busquem dentro de suas almas as respostas que vem maltratando vocês. Considerei importante expor estas informações, para deixar claro que o nazismo tinha como objetivo não somente o povo judeu, mas sim um processo muito mais profundo e global, como veremos a seguir no decorrer do mesmo. Repito, ninguém neste planeta ou sociedade pode julgar os outros, pois cada um possui sua parcela de culpa perante os mecanismos da sociedade, sejam eles antigos ou não. Cada um de certa forma manipulado ou não encontra-se dentro de um mecanismo de controle exercido pelos membros do Sinistro Governo Secreto. Cabe a cada um libertar-se desse processo, através do emprego da poderosa Chama Dourada, para aniquilar as entidades nefastas desse grupo espiritual da dimensão 2,8 que são vampiros energéticos, localizados nas profundezas do deserto de nevada nos EUA. Procurem inserir projeções mentais de luz dourada nas profundezas dos vales, desfiladeiros, e pastagens desses estado, esses exercícios devem ser ampliados aos regiões de: Nevada, Utah, Colorado, Arizona e Novo México, que representam os principais focos de atividade desses grupos nefastos para nosso planeta. Juntem-se ao Mestre Vywamus nos trabalhos de projeção da chama Dourada contra esses seres que vem deturpando o nosso planeta e a nossa sociedade.

Um comentário:

  1. Obrigado amigos pelo texto A MISSÃO DO POVO JUDEU NA TERRA.
    Namastê

    ResponderExcluir